Páginas

terça-feira, 29 de abril de 2008

Pediram o mundo em casamento!

Situações, quando bem definidas, nos fazem rir ou chorar. Deveras algumas nos fazem agir com uma sutil indiferença, mas o que importa? Cada um sente a vida da maneira que quiser. No momento não sei bem o que sentir ou se devo sentir. A questão é que pediram o mundo em casamento e todos decidiram unir-se em prol da vida a dois. Ao menos eu tenho percebido que os jovens, em sua maioria, estão com o pé no altar. Sinceramente não sei o que pensar sobre isso. Poderia dizer que são jovens cristãos que por amor ao que acreditam, escolheram por fazer as coisas como se deve, mas eu quero generalizar. Jovens de todas as idades, classes, cores, religiões e estilos estão optando, independente da situação em que estejam, pelas bodas. E isso, como muitos outros assuntos, está me fazendo pensar. Os anos são divididos por gerações. Cada uma deixa seu tempo e sua marca na calçada da fama. Cada uma tem uma história e uma sensação para transmitir. De vez em vez, de hora em hora e de moda em moda. Seria a moda da minha geração o casamento? Se eu parar para olhar para uns anos que passaram, eu vou me lembrar das pessoas priorizando o individualismo. Não que isso tenha acabado, pelo contrário, cresce a cada dia. Mas hoje o individualismo também é prezado numa realção à dois. As pessoas se unem em busca de um prazer que só pode ser proporcionado por outra pessoa. Além disso, não quero mais nada de você. Estão juntos não pelo que se pode fazer pelo outro, mas pelo que ele pode oferecer para você. Entende? Por isso acho que o casamento hoje tem se tornado algo tão desejado pelos jovens. Se entendemos que essa geração é uma geração edonista, que vive em busca do prazer, posso definir então, a sede pelo casamento hoje, como uma forma de satisfação. Por favor, não pense que eu acho isso de todos. Realmente acredito na união plena e bem decidida, mas é que isso tem se tornado um anseio muito grande numa época onde os jovens deveriam se preocupar e priorizar a formação de caráter, identidade e em como eles poderiam ser parte para a construção de uma sociedade onde a família que tanto sonho em gerar, poderá viver com dignidade quando eu não estiver mais aqui. Meu Deus! Tá todo mundo casando! Quero muito entender esse fenômeno. Se eu pudesse escolher uma palavra para definir essa fase, acho que usaria moda. Jovens são viciados em moda. Não digo de roupa apenas, mas tudo que dá em tudo e está no mundo inteiro, eles querem. Afinal, precisam se firmar em algo ou alguém. Por isso acredito que muitos estão pensando encontrar suas identidades num casamento. Se ainda não se encontraram por conta própria, talvez numa relação a esse nível, eles pensem que suas questões e dúvidas frequentes sobre a vida serão respondidas.

Eu posso imaginar diversas pessoas dizendo que eu só penso assim porque não estou me relacionando com ninguém. - Você não sabe como é difícil, Aline! - O mesmo blá, blá, blá de sempre. A carne é fraca? Eu sei disso, mas não se compara com a força do espírito que existe dentro de nós. Não sou contra o enlace matrimonial... Sinceramente o acho uma das mais bonitas coisas que Deus convida o homem a viver, mas meu questionamento não é se é bom ou não. A questão é que estão fazendo tomando decisões como se fosse a escolha de uma corte de cabelo novo: É bonito, ousado, todos vão comentar e vai me fazer sentir uma nova pessoa. Só que cabelo cresce, entende? Ouço dizerem várias vezes que ao tomarem essa decisão podem até perderem muitas coisas, mas ganham-se outras. Certo, pensem o que quiserem, mas para mim não é coisa que se decide da noite para o dia nem depois de uma declaração com rosas. Não é uma aliança na minha mão direita que vai definir o que alguém sente por mim e se é realmente ela que irá compartilhar comigo o restante da minha vida e fazer parte dos meus sonhos... Tem coisas que realmente não consigo entender! As minhas amigas, praticamente todas, estão rumo à esse mundo de contos. Não quero pensar que eu esteja ficando para trás (risos). Não mesmo. Casar não é uma ordem, desde que eu esteja em ordem. Que sejam felizes então, até que a morte os separe!!



Aline :)

Um comentário:

Abel Varandas disse...

Deixe chegar à minha idade e depois de 3 casamentos falhados e você mudará de perspectiva...!!!

Gosto de sua maneira de pensar e... de seu blog!

O "dono" de conviccoes