Páginas

terça-feira, 23 de dezembro de 2008

Então... é Natal!

Tenho pensado...

É Natal em muitos lugares. Estados Unidos, Ceará, Paris, Darfur e na Leader Magazine. Sim, é Natal em muitos lugares. E tem para todos os gostos. Natal cantado, vendido, estrelado e faminto. Sim! Temos Natal para todos os gostos e sem gosto nenhum também. 

Celebramos o Natal por vários motivos. Um vestido, uma escova nos cabelos, uma camiseta e uma árvore carnavalesca acesa durante, por tradição, trinta e uma noites. Sustentabilidade? O que é isso? É Natal meu amigo! Vamos comemorar! Perus, farofas, pudins e rabanadas... Ah rabanadas! Nem elas escaparam. Como tudo, como tudo, como tudo! Hum... Acabou. Faz Natal em dezembro como frio de julho. Mas tudo passa, tudo passará e nada fica, nada ficará... Blá, blá, blá!

É Natal no mundo todo, menos dentro de todo mundo! 

É só abrir os olhos aquele que quer ver... Cristo renasce nas histórias a cada 365 dias. Para justos e injustos. Ateus que dão desculpa de um aniversário no dia 25 ou mesmo Judeus que não sabem nem o porque de serem Judeus. Nasce na história para o Papa, Kelly Key e Dercy Gonçalves. Ah não, Dercy já morreu... e por acaso o verdadeiro sentido do Natal também está morrendo.

Por isso, que seja por um Jesus vivo, porque vive e sempre viverá dentro de nós... Que seja pelo bem comum, de todos, por todos, aqui e amanhã. Que seja Natal todos os dias em nossos corações!

Feliz à todos! Paz e Bem... 

By Aline:)

domingo, 16 de novembro de 2008

Ao vento...

Olha, faz um bom tempo que não escrevo por aqui. Nunca imaginei que trabalhar levava tanto tempo da gente. Bem, mas a verdade é que sinto maior falta de postar todos os dias como fazia antes, nem que fosse um coisa à toa... um pensamento solto traduzido em palavras. Oras, e isso não é quase uma poesia? Hum, bem que uma poesia seria bem vinda nesse tempo... Mas em que tempo? Sabe gente? Estou feliz! Verdade! Aconteceram tantas coisas esse ano que mexeram muito comigo. O medo... a angústia de estar vivendo sem saber quando vai mudar ou simplesmente quando vão acontecer. A única certeza que sempre me acompanhou é que Deus sempre esteve comigo. Esses dias pensava sobre a onisciência Dele e louvava admirada só de pensar que tem coisas que somente eu e Ele sabemos!! Engraçado... Mas com Deus é assim. Tenho pensado muito em honra... em como honrar as pessoas que amo e que tenho certeza que me amam também. E hoje, no ensaio do M. louvor em minha igreja, compartilhei algo muito legal que aconteceu comigo.

O segredo de compreender certas coisas é o fato convicto de que nossa relação com Deus é muito pessoal. A partir do que somos Nele e para Ele, do que construímos juntos e o que permitimos que Ele desconstrua dentro de nós. Então me lembrei que quando estudava em Jocum, vivi uma experiência surpreendente, como muitas outras. Mas essa foi especial. Quem conhece Aline, sabe que ela não chora tão fácil assim. Em momentos alegres, ela ri. Em momentos tristes... ela pensa. É preciso mexer no seu profundo pra ver uma lágrima cair. Mas enfim... cada um tem seu jeito de mostrar o que sente. Confesso que em seus instantes sozinha com Deus, ela não tem conseguido se controlar.

Entendo que tudo que fazemos é pra Deus, até mesmo grandes personalidades da MPB criam e entoam canções inspiradas em Deus sem saber... sem sentir. Marisa Monte escreveu uma música, mas nunca a gravou. A deu de presente para Cássia Eller. A tão cantada...

Palavras ao Vento...

Ando por aí querendo te encontrar
Em cada esquina paro em cada olhar
Deixo a tristeza e trago a esperança em seu lugar
Que o nosso amor pra sempre viva
Minha dádiva
Quero poder jurar que essa paixão jamais será
Palavras apenas
Palavras pequenas
Palavras, momentos
Palavras, palavrasPalavras, palavras
Palavras ao vento...

Então num dia meditando decidi cantar essa canção para Deus. Assim fiz. Cantei. E realmente pensei que tudo o que essa canção diz podia ser uma realidade entre nós. Sobre o nosso amor. Um tempo passou e eu percebi que crescer dói. Eu estava crescendo quando uma amiga me chamou e disse:

- Aline, Deus quer saber porque você anda fugindo Dele? Ele tem buscado te encontrar.

Voltei ao meu quarto, sentei no chão beirando minha cama e disse:

- Sabe Deus? Vou cantar aquela canção para você!

Então Deus me respondeu:

- Não Aline... Agora é a minha vez de cantá-la pra você!

Daí eu percebi que maior do que a minha vontade de que nossa relação não fosse apenas de palavras, era a de Deus me dizendo que eu sou uma dádiva e sonhando para que o nosso amor para sempre viva! E que nada do que eu fale ou faça para Ele ou em seu Reino sejam como PALAVRAS AO VENTO!

Porque o Reino de Deus não consiste em palavras, mas em virtude. - I Cor.4:20
Que te farei...? Porque a vossa beneficência é como a nuvem da manhã e como o orvalho da madrugada que cedo passa. - Os.6:4.
Como amor eterno Deus... eu vou sempre te amar!!
Paz e bem!
By Aline:)

sábado, 11 de outubro de 2008

Gostava tanto de você!

Nem sei porque você se foi
Quantas saudades eu senti
E de tristezas vou viver
E aquele adeus, não pude dar
Você marcou em minha vida
Viveu... na minha história...

Um dia de 2007...

By Aline:)

domingo, 5 de outubro de 2008

Criança é uma coisa!


No último sábado, dia quatro, cheguei do trabalho em casa e Caíque estava lá. Para quem não conhece a figura, tem cinco anos. Sentado na pia comendo Fandangos, reclamava de uma tosse chata que insistia com ele. Depois de muito falar, mesmo com dor na garganta (porque sinceramente isso não o impede de falar), ele lembrou que tinha ganhado algo. Estava no banho e ele foi até o banheiro e ficou conversando comigo. O diálogo foi mais ou menos assim:


-Line, eu ganhei um estojo!

-É amor? Que legal!

-Aí, quando você acabar aí, a gente vai lá em casa e eu pulo a janela e pego pra você ver!

-Tá bom! Depois a gente vai lá!
-Aí, quando você ver o estojo, você olha pra ele e fala assim:"Nossa, que lindo!" Tá bom?
-Tá bom! A Line vai falar que é lindo!

Que fosse feio... Ele não me deu a opção de dizer o que pensava sobre o estojo. Já pensou tudo na vida fosse assim? Você determina e pronto! Tão simples... Mas o legal do Caíque é que a sinceridade dele faz mesmo as coisas ficarem simples. E até que o estojo era bonitinho.

Lembrei de outro fato. Dessa vez não foi com Caíque, mas com Filipe, o irmão dele que na época tinha uns oito anos. Certa vez precisava que alguém comprasse absorventes para mim. Pedi que
Filipe fosse à uma pequena mercearia que tem perto de nossas casas. Bem séria, olhei para ele e disse:

-Filipe, vá até lá e compre, por favor, um pacote de absorventes.

Dei os detalhes e insisti:

-Repita comigo pra você não esquecer: Ab-sor-ven-tes! Diz...

Ele olhou para mim com a cara mais limpa do mundo e perguntou:
-Tia, você quer com abas ou sem abas!


Criança é uma coisa... Fofa e inteligente que dói!


By Aline:)

sábado, 4 de outubro de 2008

Acontece né?


Engraçado... Como sempre é. Estou feliz por ver tanta gente à procura da felicidade. Pois é... o amor tem ganhado espaço nos corações e as pessoas estão entendendo que viver o amor não significa apenas o que sentimos, mas o que fazemos por alguém. Acho mesmo que isso é amar de verdade. Como disse numa poesia antiga: O amor me pegou de jeito, me fez outro sujeito...


É bom sentir isso. É muito bom quando isso nos faz sentir...

Sabe aquelas horas que ficamos meio sem saber o que pensar, para onde olhar ou o que dizer? Tenho passado por elas. Ottis, o criador do elevador disse que o amor é como um salto. Sinceramente, sinto-me inspirada a pular. Já que insisto tanto para que os outros arrisquem e nunca tenham medo de abrir as portas para que a intensidade da vida seja parte de nós. Sem ela não tem graça... Não tem paixão. Acho que vale arriscar. O relógio que marca o tempo universal não tem bateria e nem mesmo descarrega. É eterno... infinitamente pronto a nunca parar. Andemos lado a lado, do contrário, vamos ficar para trás.


Meus últimos dias tem sido confrontantes. A verdade é que isso sempre acontece quando algo que eu nunca imaginava que fosse acontecer, acontece. Eu tenho a patética mania de cuspir para cima e como dito popular, cai na carinha da mocinha aqui. Eu sempre pago esse preço. Feio um cristão fazer isso né? Mas eu fiz e toda vez que acontece, eu aprendo um pouco. Fico meio desconsertada quando Deus age e me surpreende, me mostrando que é Ele quem faz e decide meu caminho. Afinal, a partir do momento que eu entreguei meus passos para ele, vou me meter em Suas decisões por qual motivo? Oh céus... em nome do amor, seja feito o que for mais bonito e cheiroso. Por favor... que minha história seja perfumada e que meus dias sejam repletos de flores. Dá-me coragem! Chupa essa manga Aline e ria de si mesma... como sempre!


By Aline:)

sábado, 27 de setembro de 2008

Pra Deus...


Deus, viver só faz sentido se você estiver sempre comigo.
Que o mundo saiba que nunca vou me esquecer da aliança que fiz contigo!
Sempre...
By Aline


ia,iA,ia... momento nostalgia!

A idéia de pensar na vida como uma roda gigante... Prefiro não pelo óbvio dos altos e baixos, mas que realmente a vida, como uma, dá voltas. Hoje, parar para pensar nas coisas que aconteceram me divertem e me dá coragem para insistir naquilo que acredito. Que aprendi acreditar. Olhar para trás não é como refletir ou lembrar do passado, mas ter a certeza de que tudo um dia foi parte de mim e que eu fui parte desse tudo que aconteceu. Sei que fiz pessoas rirem, outras nem tanto. Sei que fiz alguém chorar em algum momento... E chorei por alguém. Decorei expressões, sorrisos, jeitos. Lembro de muitos abraços que dei e que gostaria muito de dá-los outra vez. Noites mal dormidas, noites bem dormidas e horas perdidas. Não tem mais café! Tudo bem... A gente inventa. Faz bem lembrar das verdades. Faz bem lembrar daqueles que me disseram a verdade, sem medo de me machucar. Eles sabiam que era preciso. Existiram os que achei que iriam caminhar comigo pelo resto da vida... Todos estão muito longe. Passos juntos? Pelo contrário, bem distantes! Mas damos passos na mesma direção. Chuva, sol, vento, frio, calor... Desliga o ventilador! Me empresta isso ou aquilo... Me empresta seu tempo? Preciso de alguém para me ouvir!

Faz bem lembrar! Lembrar sem medo de perder o que já passou. Ninguém perde aquilo que nunca ganhou, mas se é seu mesmo, ninguém pode tirar de você. E a vida é mais ou menos isso. Não, a vida é exatamente isso. Como se estivéssemos escrevendo um livro e cada dia fosse um capítulo. Às vezes é preciso voltar umas páginas pra ler aquilo que marcou você. Riscadas, dobradas... Páginas laçadas fora. Uma Coca-cola, um biscoito no fim da tarde, um Club Social até que o sino toque... Lava meu prato? Leva meu coração contigo? Liga pra mim quando puder...
Uma manhã sentada na grama, algumas horas e outras bobagens, um filme, passas, caminhada na beira do mar. Nossa... eu adoro lembrar desses dias! Até porque, mesmo que a gente insista... Tem coisas inesquecíveis!

Ps.: Não é para rir, afinal só estou sendo sincera! Nath, ficou uma camiseta sua de cor bege comigo. Eu a uso! Bianca, aquele seu lencinho verde ficou comigo. Também uso. Dani, o lenço amarelo que você me deu está pendurado em meu guarda-roupa. Geovana, a dourada e a prateada ficaram em meu estojo! Foi mal amiga... estão bem guardadas! Eliethe... fiquei com nada seu não! Só a paixão pelas passas, mesmo pq eu não me interessei pelos seus terninhos. Cátia, sua eu fiquei com a inspiração! Mariana... com o coração... Noêmia, com a razão! Ainda amo vocês!

By Aline:)

domingo, 21 de setembro de 2008

Fatos e FoTOs. Caras E bOCas!

Tem gente que ri, outras, sei lá...

Boa idéia!

Bons Garotos, digo, garotos bobos!

Boas garotas, claro, minhas amigas!

Bia belíssima...

Lú, linda como sempre!


Leve a vida simplesmente!

Casamento de André e Bia... Sorrisos com Batons!!

Felicidade pra todo mundo!

Paz e bem!
Deu até vontade de casar...
By Aline:)

domingo, 14 de setembro de 2008

Aos meus amigos...


Oração da Amizade

Que as pulgas de mil camelos infestem
o fundilho daquele que tentar estragar seus dias
e que os braços sejam muito curtos
para coçar.

Amém!
Durmam bem!
By Aline:)
Ps.: Adoro vocês!

Saindo do cubo



Às vezes passamos por dias maus... Mas adoro quando meus amigos aparecem nas horas que mais preciso deles. Essa semana conversava com uma delas. Falávamos sobre a idéia de viver num cubo, como proteção... O velho medo de não correr riscos. E me fez muito bem quando ela disse que devemos ser movidos por nossas decisões e não por nossas emoções. Apesar de existirem, não devem nos guiar. Sempre tive dificuldades com a razão. Tem momentos que a lógica me incomoda... Enfim, precisava mesmo que algumas certezas fossem geradas dentro de mim. Precisava e preciso ter mais coragem de correr riscos e encarar as situações de frente. Como meu pai dizia, o não é certo... Lute pelo sim. Tenho pensado nisso e muito mais. Na verdade, tenho pensando muito, como sempre. Hoje, quando disse a alguém que estava pensando, esse alguém falou: Pare de pensar... Comece a agir. E eu preciso escolher por isso. Creio que não devo de maneira alguma permitir que o medo dos outros me impeçam de tentar. A vida não é uma receita de bolo. Sabemos e pregamos que o amor está acima de qualquer coisa e que ser tolerante como Cristo foi, é o maior desafio que libertará todo ser humano dos seus preconceitos. Suportar em amor pode até ser um mandamento, mas amar precisa ser tão necessário quanto o ar que respiramos. Sabe aquela história de que vivemos em busca da felicidade? Nosso erro está em acreditar, pois a felicidade estará sempre correndo atrás de nós. É só abrir a porta. É tão simples...


Os que se acham donos da verdade gostam de oprimir os outros! (Risos) Quer saber? Quando tiverem um encontro de verdade com a Verdade, viveremos em paz. Conheceremos o amor... Um amor.


By Aline:)

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

É com você mesmo!


Essa manhã acordei pensando em prioridades...

Então comecei a perceber em como nós priorizamos coisas dispensáveis. Absolutamente. Acho que a verdade é que até julgamos importante, mas como o homem não sabe julgar, se perde em seus anseios e possibilidades. Se um dia entendermos que podemos viver com o suficiente, a desigualdade entre as pessoas não será mais vista como um discurso político. Já não se fala mais em desigualdade como antes. Tornou-se algo igual. Infelizmente. Ninguém gosta do suficiente. Nunca é o bastante. Nós estamos passando por uma severa globalização pós-industrial. O fato do homem está constantemente adequando-se a essas mudanças, que exigem novas abordagens, novos conceitos exige de nós que acreditamos numa transformação de mente, um reposicionamento no tempo em que vivemos. Até porque, ser diferente pode até ser normal, mas fazer a diferença, lamentavelmente, quando deveria também ser algo normal, está se tornando um ideal.

Chega doer quando penso na situação que o mundo enfrenta. Em todos os fatores. É como se naturalmente meus olhos ficassem cegos e eu não mais conseguisse enxergar algo diferente acontecendo. Sinto vontade, às vezes, de tapar meus olhos para não ter que esperar. Vejo tanta gente lutando e levantando a bandeira pelos mesmos propósitos, mas cada um com sua verdade, com suas revelações, estabelecendo as suas visões ditas legítimas... E ninguém chega a lugar nenhum. Há de se aceitar e entender um dia que de mãos dadas é melhor para se atravessar uma ponte. Sinceramente, isso é só para lembrar que precisamos uns dos outros e que enquanto houver essa guerra por classes e eu sou o que tenho... Vamos todos continuar em círculos, nos esbarrando e caindo em abismos. O pior e mais triste de tudo isso é que vemos o nosso próximo cair (ou caído) e assistimos comendo pipoca, bebendo Coca-cola e vestindo Prada. Espero que no céu não tenha Grifes.

By Aline :(

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Super Babá


Precisamos de prorrogação. Se possível, por favor, um terceiro tempo também. O dia com 24 horas é injusto. É mais ou menos assim a vida de uma babá. Por isso, em nossa homenagem, decidi criar a "Oração das Babás".
Ajoelhem e peçam comigo...

Papai do céu das Babás.

Santificado seja o sono do bebê.
Venha a nós o seu silêncio.
Seja feita pouca vontade
Assim em casa, como em qualquer lugar.
A mamadeira salvadora de cada dia nos dai hoje.
Perdoai a nossa impaciência,
Assim como nós perdoamos os choros
e as vezes que eles viram o pratinho com comida.
Não nos deixei achar que fraldas recheadas são tão normais,
Mas livrai-nos do cheiro ruim.

Porque o nariz é nosso, deles é o berço, o carrinho e a mãe

Para sempre. Amém.


By Aline:)

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

Vida presente...


Desci lá,
Pra ver que cor tinha
Pra sentir se era fria
E molhar os meus pés.
Lá do alto me olhavam
E diziam: Menina, menina!
Se pudesse, virava sereia.
Se pudesse passava o meu dia.
Naquele pedaço do mundo
E ia pro fundo do mar.
By Aline:)

segunda-feira, 4 de agosto de 2008

Minha parede


Na parede da sala lá de casa tem uma casinha pintada.
De uma janela só. De uma porta só.
Nela beira um rio cercado de pedras coloridas.
As águas do rio são de todo azul.
Azul que não tem no céu.
O céu é caramelo.
Lembra mel. De uma abelha que também não há.
Que talvez não vejo.
Atrás da casa tem um pinheiro.
Que guarda um ninho com vida.
Que guarda um canto do dia.
O pinheiro tão alto é.
Que encosta nas nuvens. Que o vento sopra.
Sinto que dentro da casa tem um coração escondido.
Um coração repartido.
Que não sabe se é sol. Que não sabe se é lua.
Se é frio o se é quente.
Se floresce ou seca.
E se há um coração, não sabe que aqui fora
Vimos o tempo passar.
E que quando o tempo passa
Trás e leva nele a beleza em movimento.
Lá dentro tem um coração.
Precisa saber que o perfume do ar é bom.
E que aqui há um lugar que só ele pode ocupar.
Na parede da minha sala tem uma casa pintada.
Tem um coração dormindo acordado.
Tem um amor a espera de alguém.

By Aline:)

domingo, 3 de agosto de 2008

Sem título!


Hoje amanheci pensando em sonhos. Refleti sobre os que tenho e concluí que não realizei nem a metade ainda. Confesso que me senti um pouco confrontada quando parei para pensar no que tenho feito para que eles se realizem... E se realmente são sonhos! Até que ponto estou disposta a lutar por eles e "correr atrás", como dizem, para que aconteçam. Só que não sei... Aline leva a vida numa boa, mas ela precisa entender que sonhos não nascem da natureza como suas poesias. Sonhos não vem com a chuva nem com o vento. Sonhos são frutos... E fruto só nasce se sementes forem plantadas. Depois é preciso cuidar. Depois é preciso colher!


Então meus sonhos me fizeram pensar em riscos. Eu sempre incentivo as pessoas à arriscarem, tentarem algo novo e à não terem medo do que pode acontecer. Digo que a vida é assim... é preciso tentar pra ver se vai dar certo. Que não é uma receita de bolo e que não existe adivinhações... Existe sim, a fé. Mas daí, quando me encontro numa situação onde preciso pensar dessa forma, me pego insegura e sem coragem. Então lembrei de algo que sempre falo pro Rodrigo, que não podemos exigir de ninguém algo que não podemos (ou queremos) oferecer. Conversando com minha mãe, disse que seria muito mais fácil se eu parasse no "meio" do caminho e não tentasse. Daí ela falou: Vai passar a vida inteira com medo de tentar?


Só que o "sistema" me "oprime! Eu preciso entender com mais intensidade o que significa o amor... que tudo suporta, crê e espera! Afinal... tudo pode acontecer! Nunca se sabe... viver não é tão simples como parece... mas vale muito tentar! JESUS... eu preciso muito aprender a ser como tu és! I love...


By Aline:)

sexta-feira, 1 de agosto de 2008

Até quando?


Minha relação com a escrita é igual resolver problemas entre um casal: Nunca deixar para amanhã. Ao menos é isso que ouço e o que me "instruem" a fazer quando casar um dia. Há poucos assistia o programa Globo Repórter. É incrível a habilidade de variação temática que a Globo tem para esse programa, para não dizer o contrário. Quando não é natureza ou impacto de culturas, falam de comida. O interessante é a capacidade de trazer sempre coisas novas, mesmo quando assunto principal é o mesmo. Desta vez (mais uma vez), nos trazia a oitava - não registrada - maravilha do mundo: O continente Africano. Tudo porque lá encontram-se tesouros insondáveis. E uma das coisas que mais me surpreende é a absurda diversidade que constrói aquele ecossistema. Sempre há de ter um pássaro com um novo bico ou pena. Sempre há de se descobrir uma nova agilidade de um animal que nasceu em nossas mentes ontem, mas vive há bilhões de anos. O mundo não pára de inovar, nem naquilo que já existe. À isso chamo de coexistir. Não. Meu bicho predileto não é o cão, apesar de gostar do que tenho. Mesmo ele aprontando como fez hoje. Ele é o pedigree mais vira-lata que já tivemos. O animal que mais me encanta é o Gorila. Lembro que fiz questão de trocar um pelúcia na coleção que a Parmalat lançou há uns anos. Não sei, mas tem algo neles que é maravilhoso. Passei a olhar pra esses com outros olhos depois que assisti ao filme: Instinto. Me passaram um imensurável ar de superioridade. Eles são fantásticos. Anthony Hopkins, faz um antropólogo "frustrado" que abandona sua carreira e vai viver om os "Gorilas da montanha", num lugar da África. Lá, ele descobre outro mundo. Relata o contato que ele manteve com os gorilas, as dificuldades para conseguir ficar em grupo com estes animais selvagens e o porquê da morte de dois homens na selva ocasionada pelo próprio. Estes homens eram caçadores e no momento em que o antropólogo estava com o filhote de gorila, eles chegaram atirando, o que causou a morte da mãe e do pai gorila. Ou seja, alugue e assista. Viajando nisso tudo, algumas coisas me fizeram pensar... Em como o homem está distante de ter uma mente segundo à mente de Cristo. A ganância está ferindo o caráter humano, a vaidade está mascarando a ordem natural das coisas e o "ter" está se tornando mais importante do que o "ser". Isso eu ouvi da boca de duas pessoas que conversavam comigo essa semana. Sinceramente, pensamentos como estes são a causa da "opressão" que está consumindo a capacidade de nos tornarmos pessoas melhores e fazermos dos outros, tão bons quanto o que precisamos nos tornar. "Ter" é um verbo que perece. Ser... é um verbo que edifica. Ficou ecoando na minha cabeça... Até quando? Até quando o batom será mais importante que o beijo ou unhas bem feitas mais do que um aperto de mão? Violões mais do que canções, internet mais do que um encontro, sandálias mais do que pé no chão? Existe um provérbio chinês que diz... A gente arruma todos os dias o cabelo; Porque não o coração? Amigos, amigos... Um pouco de perfume sempre fica nas mãos de quem oferece flores! Decoremos nossas almas... Façamos alguém feliz! Sejamos simplesmente quem fomos criados para ser... Seja! E viva os Gorilas!
By Aline:)

quinta-feira, 31 de julho de 2008

De pés descalços...


Às vezes que queria ter uma percepção maior das coisas... Talvez isso me ajudasse a compreender motivo de algumas acontecerem. Talvez assim eu encontrasse respostas mais rápidas... Talvez! Enfim... anyway!! Como disse Vivi na sua última carta... "Aprendi a jogar a sujeira pra baixo do tapete! Tem dias que não tô afim de limpar!" E não é verdade? Olha minha cara de preocupada...



Ps.: É bom deixar acontecer!!
By Aline:)

segunda-feira, 28 de julho de 2008

sábado, 26 de julho de 2008

Todo dia de manhã


Engraçado...


Numa de minhas manhãs enquanto meditava... Pedi à Deus que falasse comigo. Dessa vez caíram folhas, mas ainda não entendi o porquê. Interessante é que não ventava, mas elas caíram. Como eu sou bem lenta para processar as coisas, espero por uma conclusão antes que termine o dia. E é muito bom ter esses momentos enquanto o sol se manisfesta. Enquanto ele queima e você nem percebe. Porque na sua mente, mesmo que ele esteja radiante no céu, é inverno. E o frio, mesmo que não sinta, está acontecendo. Certas coisas me fazem pensar e sinceramente, não vejo a hora da chegada da primavera.


Ontem à noite, enquanto escrevia uma carta para uma amiga, eu comecei a pensar numas coisas que estou vivendo e no porque delas. Lembrei que na minha última semana na Jocum, numa aula da Ana, ela falou algo sobre "encubadora" e que talvez durante um bom tempo, indetermidado até, eu como outros poderíamos passar um bom tempo dentro de uma e que crescer, doía. Isso já faz tempo e hoje eu estou começando a entender o que ela queria dizer. Nós aprendemos sem querer e sem perceber. Quando criança, sentia muitas dores nas pernas e acontecia geralmente à noite. Em algumas situações, chorava de tanta dor. Minha mãe ou pai massageavam antes que eu fosse para a cama e diziam que isso acontecia porque eu estava crescendo e que o fato de eu correr muito durante o dia, me causava todo aquele desconforto. Então eu podia até me sentir mal, mas sabia que em algum momento eu teria altura para fechar o registro do chuveiro sem precisar pedir ajuda à ninguém. Eles realmente precisavam me dar um motivo para aquilo acontecer. Coisas de pais. Daí hoje eu percebo que a história se repete. Não sinto mais dores nas pernas. Parei de crescer, infelizmente. Claro que gostaria de uns centímetros a mais, mas enfim... São outras dores, num lugar que inacessível. Descobri que se leva muito tempo para nos tornarmos "a pessoa" que tanto sonhamos ser e que a nossa vida está sendo construída e moldada todos os dias, a partir das escolhas que fazemos. Existe um programa chamado: Você é o que você come. Acho que também somos o que fazemos e depende somente de cada um de nós a maneira que nossos passos serão regidos. Incrível, mas percebo que quanto mais falamos no quanto o tempo passa rápido, menos nos importamos com isso. Porque continuamos a viver como se fôssemos ter uma outra oportunidade. Apesar de gostar de "levar a vida" sem muita pressa, preciso entender que apertar "os passos" pode ser bom. Mesmo que à noite eu sinta dores... Sei que uma hora vou ser "grande" o bastante para alcançar o que quero. Possos ser lenta e dar passos largos. Uma possibilidade! Sinto que muitos entenderam o que isso significa e que crescer, dói de verdade. Diz aí quem não quer ser grande?


Engraçado... Mas hoje eu acordei assim!


By Aline :)

terça-feira, 22 de julho de 2008

Um lugar chamado Juquitiba

Esse fim de semana estive em Juquitiba. Uma cidadezinha no interior de São Paulo. Fui ao sítio do tio Júlio. Para aqueles que conheceram o vô Zé, o tio é igualzinho à ele. Foi tudo muito rápido, mas valeu cada segundo. Ver aquela gente tão simples e tão acolhedora... Deus seja louvado por ainda existirem pessoas assim. Bom demais ver o tio outra vez fazendo 93 anos e cheio de vida. Pena mesmo ter sido "vapt-vupt". Como um Dèjá vu... vou tentar descrever meu sábado naquele lugar.

"Lembrei dos carros parados naquela imensa avenida. Tinha sol para todos ali. Existe mesmo Juquitiba? Eu pensava. Sim! Em algum momento eu chegaria. Mas dessa vez foi diferente. Era como se eu fosse a única na estrada. E ao luar fomos, sem calor e suor. Apenas o vento frio desse inverno que engana a gente. Pisar lá é como pisar num chão fofo, de uma terra que acabou de ser arada. Nasce flores em todos os cantos, de todas as cores e de todas as formas. O esquilinho não apareceu. Tudo estava tão calmo, tão cândido... Café quente toda hora e biscoitos de povilho sendo assados minuto à minuto no fogão à lenha. Que ágil são elas. Também no roseiral não tinha rosas como da outra vez. Apenas duas avisando que as outras estavam por vir. Tudo podado e preparado para a imensidão de beleza que estava por tomar aquele lugar. Frutas e frutas nasciam. Comer direto do pé nunca será o mesmo que comprar num hortifrut. Tem um bom gosto de terra. Não vi os peixes no lago, mas sabia que eles estavam lá. Engraçado, mas dá uma vontade de ser criança de novo. Quem não tem medo, lá se entrega. O balanço, a rede, a corda na árvore... E você voa, voa, voa e cai no chão como eu caí. Pra chegar do outro lado, a gente tem que passar por um caminhozinho. Nele você encontra uns abacaxis filhotes crescendo. Uma graça. Então descobre que essa coisa de "roça" tem um monte de atalhos. Uma escada de barro bem íngreme te leva à beira do lago. Você até desce, mas escorregando e sujando bem a roupa. Dá um frio na barriga, mas não vontade de voltar. Lá o milho é doce, o feijão abóbora e fica mais perto do sol. Não tem nada que não deixe um gosto bom na boca. Nos arredores encontramos gente de todo tipo. Para uma cidadezinha como essa, é engraçado algumas coisas. Você segue pela rua dos artesãos e encontra um senhor querendo te mostrar "sua colméia" pra ver se consegue vender o mel. De longe você vê, de longe. Encontra os maestros das madeiras e suas artes. As moças pintado quadros ou tricotando um cachecol. Cestos, tapetes, pastéis e "Eco sport". Tem de tudo um pouco em Juquitiba. Aí no fim da tarde você vê o sol indo embora, deixando parte do céu escuro e a outra parte da cor da laranja que você colheu um pouco mais cedo. E vem embora com vontade de nunca mais partir. Ter outro Dèjá vu como esses, só voltando lá pra viver tudo outra vez. Saudades..."

By Aline :)

Ps.: Foto de Thiago Paiva, meu primo. Para um "iniciante", está muito bom. Visitem seu Flirk: http://flickr.com/photos/thiago_paiva/

Lá tem mais fotos de Juquitiba.

Tá crescendo, lálálá!


É que gostei dessa foto... e como não tenho mais orkut, decidi colocá-la aqui!! Afinal, o blog é meu mesmo e ponto final! Beijos à todos... que me aturam!
By Line :)

sábado, 12 de julho de 2008

Uma Florzinha de Jesus



Tem coisas que nascem...

Nasceu uma flor em meu coração, e como amo flores, decidi cuidar com carinho para que ela não morra. A minha flor passa o dia inteiro dando gargalhadas. Ri não sei de quê. Mas ela realmente vê graça nas coisas. Ela veio como um renovo, cheia de vida, de alegria... de bom humor. Que lidinha! Me faz tão bem...


E foi plantando uma semente que ela veio, assim... assim... dentro de mim. Brota uma nova esperança.




Deus, obrigada! Meu coração exulta... meu cálice transborda!!



"... porque produzira flores, brotava renovos" Nm.17:8


"...Para que a excelência do poder seja de Deus e não de nós." IICo.4:7
Em breve...
By Aline :)

quarta-feira, 9 de julho de 2008

EmErGêNcIa! Vítimas de VIOLÊNCIA...

... Indivíduo na calçada, sem socorro, conseqüência...

"Hospital confirmou nesta segunda-feira (7)a morte cerebral do menino João Roberto Amorim Soares, de 3 anos, baleado na cabeça na Tijuca, Zona Norte do Rio, na noite de domingo (6) durante um tiroteio."

"João Hélio... O menino ficou preso pelo lado de fora do veículo e foi arrastado por sete quilômetros pelos assaltantes... abandonaram o carro com o menino pendurado do lado de fora..."

"Dênis Henrique dos Santos, de 13 anos, foi morto durante uma festa pré-carnavalesca em Recife. Segundo testemunhas, ele teria sido espancado por policiais, que achavam que ele se envolveu em uma briga..."

"Uma criança de 8 anos foi ferida por uma bala perdida, na noite desta terça-feira (17), durante um confronto envolvendo policiais militares e traficantes na Cidade de Deus, em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio de Janeiro."

"Ramon Fernandez Dominguez estava na porta de casa, na Favela do Muquiço, em Guadalupe, quando foi atingido por uma bala perdida. O corpo foi enterrado no começo da tarde."

"Mulher foi baleada quando o veículo passava pela Avenida Brasil. A polícia ainda não sabe de onde partiu o tiro que atingiu a vítima."

"Um menor de 14 anos foi vítima de uma bala perdida, no final da noite de domingo..."

"A aposentada Maria Martins da Silva morreu às 15 horas desta quarta-feira, no Hospital Getúlio Vargas, na Penha, Subúrbio do Rio. Ela foi atingida por uma bala perdida... por um tiro de fuzil por volta da meia-noite enquanto trabalhava na sua barraca de doces."

"Um homem que foi vítima de bala perdida numa festa no Rio não resistiu aos ferimentos e morreu... Elias Gabriel Batista da Silva, de 29 anos."

"Um funcionário da Prefeitura de Belo Horizonte foi baleado neste sábado quando fazia o controle da dengue no bairro São Francisco, região da Pampulha. Ramon Correia de Abreu, de 46 anos, levou um tiro na cabeça... No mesmo local, Wellington Fernandes dos Reis, de 21 anos, foi morto com 13 tiros."

"O professor de educação física Vladimir Novaes de Araújo, de 28 anos, é a sétima vítima fatal de bala perdida no Rio de Janeiro neste mês de março."

"A menina, de 13 anos, foi morta, vítima de bala perdida, durante tiroteio entre traficantes e policiais..."

Não é por eles que decidi levantar a bandeira!
É por nós que ficamos...
E pelos que virão!
By Aline :(

terça-feira, 1 de julho de 2008

Tic-tac...


Tenho experimentado umas coisas bem legais em minha vida. E não preciso de muito pra dizer que está bom do jeito que está... Me contento com pouco, desde que seja bom. Na última semana assisti à uma entrevista com o cantor de rap MV Bill. Nascido, criado e vivido na Cidade de Deus, no Rio, ele tem sido voz pra muitos. Para quem não sabe, MV significa mensageiro da verdade. Gostaria de ser conhecida como MV Aline. Que tal? O cara é do tipo extravagante, mas muito consciente. Ele disse algo que me fez refletir: -O que é plantado nas comunidades é ódio, indiferença, desdenho... Depois não pode querer colher amor dessas pessoas.- É uma verdade tão verdadeira que até me constrange. Porque aos olhos dessa gente, eu sou mais uma na multidão, até que eu me manifeste vestindo a camisa que eles vestem. Diante disso, desse click, eu decidi abrir meus olhos e fazer aquilo que posso alcançar agora. Um passo de cada vez... mãos que abençoam e pés que anunciam.


Ele é um homem que tem um senso crítico admirável. Bem, na verdade qualquer um que tenha o senso crítico aflorado eu admiro, porque eu não consigo ser assim. Durante um tempo coloquei à prova minha personalidade e até duvidei da mesma, pelo fato de não conseguir olhar com percepção crítica para as situações, filmes, etc. e etc. Só via (e vejo) beleza em tudo. E quando não é bonito, eu desperto uma esperança não sei de onde que diz que uma hora vai ficar. Será que muito otimismo é exagero no mundo em que vivemos? Não acho. Acreditar me faz bem.


Filipe meu bem... não sei assistir à um romance, não me derreter e dizer que foi fantástico. Nossa... só tenho olhos para os sentimentos naquele instante. Não cobre críticas de uma garota melosa como eu (risos)! Acho que é a vontade de viver o mesmo um dia. Tenta entender...


Mas voltando ao Mc, digo, MV (risos), o cara é bom. Meninos do Tráfico foi um grande documentário. Acreditem que de todos que participaram, não há mais nenhum vivo. Nessa terça fui à um CIEP de uma comunidade e fiz umas entrevistas com umas pessoas. Foi interessante ver a motivação de professores e outros funcionários quando conversavam comigo me dizerem que ali existem muitos tesouros, mas lamentável em ouví-los dizer que despercebidos e que os alunos só vão à escola pela merenda. Era de se esperar!! Vejamos o que podemos fazer por aqueles jovens... Nada que o tempo, paciência e Hip-hop não cuide. Dá pra não acreditar?


Aline :)

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Um gentil pé de Mangaba



Durante essa semana eu ouvi inúmeras vezes a canção Gentileza de Marisa Monte. Entre outras e outras e mais outras. Como sempre, incansavelmente... Também descobri coisas interessantes sobre a vida do homem que inspirou essa canção. Vale dedicar um tempo pra ler sobre isso. Mas não vou dizer nada aqui... Pesquisa no Google. Ontem à noite eu assisti ao programa - Um pé de que? – com Regina Casé. Nessa mídia infame que invade nossas casas todos os dias, ainda são possíveis encontrar tesouros em alguns cantos da TV. Claro que o canal Futura é rico em vitaminas... Só pra quem gosta de ter um mente fortinha! Regina Casé é um ícone da popularidade e esbanja simpatia, deixando os povos por onde passa bem à vontade com sua presença. Isso me fez lembrar de um quadro que ela guiava no Fantástico, onde apresentou para o mundo as comunidades, vulgo favelas, Africanas. Foram noites de domingos muito bem aproveitadas. Em - Um pé de que?- ela esteve em Sergipe, na praia dos praianos, dos náuticos, dos marinheiros, do povo mais agraciado pela natureza. Lá ela nos apresentou uma fruta chamada Mangaba, que é a maior fonte de renda daquelas pessoas. A fruta parecia ser muito boa. Pequena como Abil e devia ser tão doce quanto jabuticaba. Sim, Aline adora frutas! Mas o legal de tudo isso eram os costumes e as venerações daquela gente. Dizem que a árvore de Mangaba foi plantada por Deus... Quando chegaram naquela região, elas já estavam lá. Também que elas não tem dono, ou seja, mesmo que estejam plantada no seu sítio, (como as que caem são as mais gostosas) quem chegar primeiro leva. Delícia demais ver a simplicidade deles, ver as crianças dizendo que o suco de Mangaba era mais gostoso do que o de Jenipapo... Como assim? Se falasse suco de manga eu poderia até fazer uma idéia (Risos). Lindo ver uma menina dizer: -O que tem valor na vida pra mim... É assim, você compra um batom de cinco reais. Esse batom não é a sua vida.- Quer coisa mais rica do que isso. Eu jamais tiraria um tesouro como esse dessa terra. Se acrescer algo... Estraga.



Gente, isso se chama viver de verdade. Significa dar valor ao que importa e se importar com o que tem valor. Pessoas como Gentileza ou como as vendedoras de mangaba de Sergipe entendem que a vida não se limita em construir legados palpáveis nem mesmo sugar do mundo até seu último segundo. A natureza não precisa de nós. Nós é que precisamos dela, disse uma pescadora. Porque somos tão reis de nós mesmos? Sinto que merecemos cada milímetro do que tem acontecido. Lamentável, mas real. Ah, mas como me deu vontade de saber que gosto a mangaba tem. Se um dia for à Sergipe, quero sentir de perto o cheiro daquela vida. Não deve ter nada melhor.

Aline :)

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Era uma vez crianças no Tuiutí...


No dia em que fizemos essa roda foi um dos dias mais felizes que tive. Eram cerca de 60 crianças que poderiam, aquela tarde, estar olhando para o nada e deixando o tempo passar. Acho que nunca pulei tanta corda e nunca tive tanta vontade de permanecer num lugar como foi ali. Era como se eu olhasse e buscasse enxergar tantas possibilidades no meio de um povo que parecia não ter nada para te oferecer. Era como querer acertar na escuridão. Assim foi aquela tarde. O futebol dançava solto na quadra, meus amigos faziam pintura no rosto da criançada e a boneca do teatro buscava o brilho escondido em cada olhar. Era o dia das crianças e nós nem tínhamos uma sacola com brinquedos para distribuir. Tem hora que sinto que só a nossa presença fez daquele dia um dia especial. O beijo e o abraço que não faz parte do dia a dia... Foi preciso entender que isso teve mais valor do que qualquer presente... Pelo menos naquela tarde. Momentos simplesmente acontecem, pessoas surgem e depende de nós fazer de um instante bom o bastante para ser lembrado pelo resto de nossas vidas... Para ser inesquecível.


Pequeninos... minha oração é para que Deus faça seus caminhos. Vou guardá-los em meu coração! Sempre e sempre...
Ps.: Aline está nessa roda... de camisa roxa!!


Aline :)

Meu universo não é tão particular...








Viver momentos bons não tem preço... Para os que passaram, existe a saudade!!
Aline :)


segunda-feira, 23 de junho de 2008

Poema de Aline 1 e 2 - 1987.

Tô revirando o baú aqui de casa e olha só o que encontrei... Poesias de Elias Moreira, pai da escritora desse blog. Essas aí foram escritas certamente em 1987, o ano em que nasci. Vale a pena conferir e ver que não é por acaso que eu sou assim.
Poema de Aline (I)


Aline me pegou chorando
Seus olhinhos de anjo pareciam entender o motivo.
Ela não sabe que gente grande tem destas coisas
Coisa de chorar a toa, de sofrer por nada.
Mas Aline não é boba e, embora tão inocente, tão pequenina, sabe que não choro a toa...
Que a razão é tudo.
Ah!, se Aline soubesse que“aqui em cima” é tão ruim, nem viria pra cá.

Ficaria lá embaixo, eterna criança, feito Peter Pan da terra do nunca
A voar com pózinho mágico ao dizer Plim Plim.
Faz-de-conta Aline
Faz-de-conta e dorme...
Fica assim não...
Gente grande tem dessas coisas.



Poema de Aline II


Desta vez fui eu que peguei Aline chorando.
Virei-a de bruços e comeceia cantar canções de fazer dormir.
Atirei o pau no gato umas dez vezes e Aline... nada.
Cheguei a ameaçá-la dizendo que se não dormisse, a “cuca” viria pegá-la, e Aline... nada.
Cansei de “ir no tororó” beber água e não achar, e quando voltava, lá estava Aline...
Olhos arregalados a me espiar.
Com as mãos eu batia devagarinho nas costas de Aline...
E o sono que me dominava ia aos poucos contagiando a pequena.
Aline dorme. Levanto-me bem devagar, a respiração presa, silêncio total e quando vou saindo bem de mansinho...
Aline abre um olhinho só e me espreita, recriminando.
E com um sorriso me deixa ir em reconhecimento ao meu cansaço e ao sono que me rouba.




Aline :)

terça-feira, 17 de junho de 2008

O amor não tira férias

Quem me conhece sabe o quanto eu sou exagerada com essa coisa de filmes. Não é mania de cinema, apesar de gostar muito de ir, mas mania de repetição. Sou daquelas que assiste o mesmo filme infinitas vezes de uma forma bastante incansável. Deu pra perceber a intensidade? E o mais engraçado é que as gargalhadas, as lágrimas, os sustos e outras sensações acontecem como se fosse a primeira vez que eu estivesse assistindo. Nunca parei para contar porque temo que isso faça com que esse encanto se perca. Afinal, é uma coisa minha e deixa Aline com cara de Aline. A única coisa que posso garantir é que os dramas e as comédias românticas estão em disparada. Em minha opinião são perfeitos. Gosto e faço com prazer... Já que as emoções são tão boas, qual a razão para não querer tê-las outra vez?



Convenhamos que não é algo anormal. Existem outros vícios e manias que produzem a mesma sensação e as pessoas não se cansam. Existe um classico em minhas coleções que me deixa sem chão. Apesar de ser recente, o filme me transporta para uma realidade muito, muito, muito real. Não transmite aquela história que você sabe que é impossível viver. Pelo contrário, acontecesse com pessoas normais que acreditam em alguma coisa e lutam por isso. "O amor não tira férias" está me fazendo decorar as canções e as falas de cada personagem. Eu andei reparando algo interessantíssimo em alguns de meus romannces. A profissão jornalística persegue as atrizes principais. Quero apenas um motivo para não acreditar que realmente pode acontecer? Precisava comentar sobre ele te motivar a assistí-lo também. Vale muito ceder seu precioso tempo a uma jóia dessas. Mostra que o impossível torna-se possível quando você menos espera... Quando você abre a porta, lá está. Corra, vá em direção, abrace e dance ao vento. Role nas folhas do outono caídas ao chão. Dance na ponta dos pés, permita-se ser uma melodia e nunca se esqueça de dar um basta. Recomeçar faz bem e é preciso. Adorável fime... me apaixonei por você.



By Aline :)

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Desfrutem!!


E que a força do medo que tenho
Não me impeça de ver o que anseio.
Que a morte de tudo em que acredito
Não me tape os ouvidos e a boca
Porque metade de mim é o que eu grito
Mas a outra metade é silêncio.
Que a música que ouço ao longe
Seja linda ainda que tristeza
Que a mulher que eu amo seja pra sempre amada
Mesmo que distante
Porque metade de mim é partida
E a outra metade é saudade.
Que as palavras que eu falo
Não sejam ouvidas como prece e nem repetidas com fervor
Apenas respeitadas
Como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos
Porque metade de mim é o que ouço
Mas a outra metade é o que calo.
Que essa minha vontade de ir embora
Se transforme na calma e na paz que eu mereço
E que essa tensão que me corrói por dentro
Seja um dia recompensada
Porque metade de mim é o que penso
Mas a outra metade é um vulcão.
Que o medo da solidão se afaste
E que o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável
Que o espelho reflita em meu rosto um doce sorriso
Que eu me lembro ter dado na infância
Por que metade de mim é a lembrança do que fui
A outra metade eu não sei.
Que não seja preciso mais que uma simples alegria
Pra me fazer aquietar o espírito
E que o teu silêncio me fale cada vez mais
Porque metade de mim é abrigo
Mas a outra metade é cansaço.
Que a arte nos aponte uma resposta
Mesmo que ela não saiba
E que ninguém a tente complicar
Porque é preciso simplicidade pra fazê-la florescer
Porque metade de mim é a platéia
A outra metade é a canção.
E que a minha loucura seja perdoada
Porque metade de mim é amor
E a outra metade também.


METADE -Oswaldo Montenegro.

quinta-feira, 12 de junho de 2008

Today... Celebre!

Estranho, mas faz tempo que não tenho inspiração para escrever uma boa poesia. Sinto falta disso. Será que preciso das telas da Cátia? Elas realmente me serviram de muita inspiração. E isso pede um motivo, entende? Não é por acaso e nem mesmo sem querer. Eu preciso ter uma boa razão para fazê-las. Hoje é dia dos namorados. Não! Eu não tenho namorado. Claro que tem sábado à noite que bate aquela "deprê": "Ninguém me ama, ninguém me quer, por isso eu vou comer baratas." Não! Eu não como baratas. Mas logo passa depois de um bom filme ou uma saída com uma a amiga pra comer um mega sanduíche e depois um sorvete de morango. Ok! Desejo felicidade aos felizes corações apaixonados. Completem-se hoje e sempre. E eu queria dedicar esse tempo pra celebrar a minha vida e a vida de todo mundo. A sua principalmente. Não porque você está aqui, mas porque você faz parte da minha conexão. Quem lê o que escrevo, mesmo que sejam poucos, de alguma forma estão conectados comigo. Digam X! É isso amigos, celebrem. Vivi... celebre! Entenda e chore sempre que der vontade. Na careta ou para o travesseiro. O que importa? De quem são as lágrimas? Olhe pra cima e saiba que por trás das nuvens o sol nunca vai deixar de brilhar. Vanessa... celebre! Deus criou o tempo que constrói e destrói todas as coisas. E Ele sabe o porque. Inove, ilumine-se e apaixone-se... pelas suas conquistas, seus sonhos, sua fé! Sua vida tem uma beleza rara. Jéssica... celebre. Deus olhou pra você no céu e disse: Desce e arrasa! Aproveitar as oportunidades é uma questão de sabedoria. Gerar uma vida é uma questão vida. Então, carpe diem!Onde estiver o seu tesouro, ali estará o seu coração. Raquel... celebre! Sinta-se, doe-se e nunca se cale. Seja, lute e insista. Desistir não combina com quem nasceu pra vencer. Consegue enxergar? Não? Nem eu. Jamais homem algum viu o que Ele te preparado para nós. Ame! Lú... celebre! Faça uma acordo de coexistência pacífica com o tempo: Nem ele te persegue, nem você foge dele; Um dia vocês vão se encontrar. Permita-se ser sempre quem você nasceu para ser. Acredite... nada acontece por acaso! Leões não entram na vida de qualquer pessoa! À todos... celebrem! Sorrir faz bem e emagrece. Dançar evita estria. Gargalhada cura indisposição. Andar descalço deixa a pele mais bonita. Cantar igual um maluco atrai inteligência. Amar de verdade traz felicidade eterna. Por isso, comam feijão. Ele realmente deixa forte... Nossos pais sempre tem razão. Com amor e piração... Eu! Love... forever!

Aline :)

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Um passo de cada vez.



Adoro quando surgem novas idéias. Einstein disse que a mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original. Inovar faz bem. Sabe o que às vezes me faz pensar no quanto as pessoas não conhecem uns aos outros? Quando elas dizem o que pensam pelo que vêem, não pelo que vivem com você ou pelo que te vêem viver. Os outros simplesmente não sabem nada da sua vida como ela realmente é. Mas isso não importa. Desde que você o saiba muito bem. Quando conversava com meu pai sobre situações que ele enfrenta no trabalho, concluímos que confiamos muito nas pessoas e também que achamos que isso é o certo a se fazer. Thiago de Melo Neto quando escreveu os estatutos do homem, se entregou à esperança de acreditar que isso é possível: Que o homem confiaria no homem como um menino confia em outro menino. O mundo terá jeito de verdade se isso vier acontecer. Faz bem acreditar!


Certas coisas acontecem porque o medo é maior. Disseram uma vez que o verdadeiro amor lança fora todo medo, mas enquanto não souberem o que é o amor de verdade, nunca viverão sem medo. Decidi que não posso mais sentir isso e nem que o medo dos outros me impeça de tentar. Pessoas vivem esperando alguma coisa. Todos esperam por algo, até para viver. Esperar para viver. Deixamos para depois e o depois nunca chega. Acaba-se por acabar e... Fim. O mais interessante disso tudo é que quando nos importamos com o tempo, ele corre de nós. Incrível! É uma guerra constante até que tudo termina um dia numa grande frustração: Ou ele destrói você ou você o enterra para nunca mais o encontrar. Mário Lago deu uma definição perfeita para uma relação estável e recípocra com o tempo: Faça um acordo de coexistência pacífica com o tempo: Nem ele te persegue, nem você foge dele; Um dia vocês se encontram. Perfeito, não acham? Do contrário, nada do que foi será. Respeitar o tempo significa ganhar oportunidades e tê-las significa um novo tempo em nossas vidas. Logo, quando surgem novas idéias, percebo que estou seguindo o fluxo do que o tempo determina. Acho que as coisas vão dar certo assim. Aprendi a viver de uma forma bem leve, sem correr na frente daquilo que me conduz. Entedi que se não fizer dessa forma, posso ser atropelada a qualquer instante. E eu não quero -sinceramente- jogar pétalas pelo vento. Afinal, demora-se muito tempo para plantar um jardim e ver as rosas crescerem.


Eu sei o quero para minha vida, mesmo que não enxerguem isso. O importante é que do meu jeito eu sei. Pode até ser que diante de tantas possibilidades eu confunda um pouco, mas isso não quer dizer que possibilidades não serão definidas, estabelecidas e concluídas. Não gosto de comparações. O que eu construo hoje ou tenho começado a construir não é igual a nada e nem a ninguém. É a minha vida, única, Aline Rodrigues Moreira da Silva e igual a mim não existe em lugar nenhum desse mundo. Assim seja! Não me importo se não der certo. Não deu. Então, tente outra vez e faça dar. Aprendo melhor andando do que sentada. Cada um com sua maneira. Estou muito satisfeita com a maneira que meu caminho está sendo feito. Não me arrependo de nada, mas acho que os outros se arrependem. Depositar expectativas no homem e esperar algo em troca não é um bom negócio. Ao menos comigo não funciona, por isso sinto que em alguns momentos pessoas irão se decepcionar. Tudo bem. Levantem a cabeça e tentem de novo. Eu sinceramente quero vê-los felizes. Mas que busquem por isso da maneira correta... Algo me diz que assim, seremos todos irmãos. A verdade sempre nos leva a dar um passo a frente e subir um degrau também. Perfeito! Vivamos todos pela verdade verdadeira. Ergamos nossas bandeiras na luta pelo que é bom e justo e que o próximo seja sempre o primeiro, porque a partir do momento que eu for o motivo... Triste vida de quem pensa assim. Me disseram que estou no caminho certo. Espero não me cansar nas curvas e que nenhum atalho seja mais atrativo do que a fascinante estrada que escolhi seguir.

Aline :)

terça-feira, 29 de abril de 2008

Pediram o mundo em casamento!

Situações, quando bem definidas, nos fazem rir ou chorar. Deveras algumas nos fazem agir com uma sutil indiferença, mas o que importa? Cada um sente a vida da maneira que quiser. No momento não sei bem o que sentir ou se devo sentir. A questão é que pediram o mundo em casamento e todos decidiram unir-se em prol da vida a dois. Ao menos eu tenho percebido que os jovens, em sua maioria, estão com o pé no altar. Sinceramente não sei o que pensar sobre isso. Poderia dizer que são jovens cristãos que por amor ao que acreditam, escolheram por fazer as coisas como se deve, mas eu quero generalizar. Jovens de todas as idades, classes, cores, religiões e estilos estão optando, independente da situação em que estejam, pelas bodas. E isso, como muitos outros assuntos, está me fazendo pensar. Os anos são divididos por gerações. Cada uma deixa seu tempo e sua marca na calçada da fama. Cada uma tem uma história e uma sensação para transmitir. De vez em vez, de hora em hora e de moda em moda. Seria a moda da minha geração o casamento? Se eu parar para olhar para uns anos que passaram, eu vou me lembrar das pessoas priorizando o individualismo. Não que isso tenha acabado, pelo contrário, cresce a cada dia. Mas hoje o individualismo também é prezado numa realção à dois. As pessoas se unem em busca de um prazer que só pode ser proporcionado por outra pessoa. Além disso, não quero mais nada de você. Estão juntos não pelo que se pode fazer pelo outro, mas pelo que ele pode oferecer para você. Entende? Por isso acho que o casamento hoje tem se tornado algo tão desejado pelos jovens. Se entendemos que essa geração é uma geração edonista, que vive em busca do prazer, posso definir então, a sede pelo casamento hoje, como uma forma de satisfação. Por favor, não pense que eu acho isso de todos. Realmente acredito na união plena e bem decidida, mas é que isso tem se tornado um anseio muito grande numa época onde os jovens deveriam se preocupar e priorizar a formação de caráter, identidade e em como eles poderiam ser parte para a construção de uma sociedade onde a família que tanto sonho em gerar, poderá viver com dignidade quando eu não estiver mais aqui. Meu Deus! Tá todo mundo casando! Quero muito entender esse fenômeno. Se eu pudesse escolher uma palavra para definir essa fase, acho que usaria moda. Jovens são viciados em moda. Não digo de roupa apenas, mas tudo que dá em tudo e está no mundo inteiro, eles querem. Afinal, precisam se firmar em algo ou alguém. Por isso acredito que muitos estão pensando encontrar suas identidades num casamento. Se ainda não se encontraram por conta própria, talvez numa relação a esse nível, eles pensem que suas questões e dúvidas frequentes sobre a vida serão respondidas.

Eu posso imaginar diversas pessoas dizendo que eu só penso assim porque não estou me relacionando com ninguém. - Você não sabe como é difícil, Aline! - O mesmo blá, blá, blá de sempre. A carne é fraca? Eu sei disso, mas não se compara com a força do espírito que existe dentro de nós. Não sou contra o enlace matrimonial... Sinceramente o acho uma das mais bonitas coisas que Deus convida o homem a viver, mas meu questionamento não é se é bom ou não. A questão é que estão fazendo tomando decisões como se fosse a escolha de uma corte de cabelo novo: É bonito, ousado, todos vão comentar e vai me fazer sentir uma nova pessoa. Só que cabelo cresce, entende? Ouço dizerem várias vezes que ao tomarem essa decisão podem até perderem muitas coisas, mas ganham-se outras. Certo, pensem o que quiserem, mas para mim não é coisa que se decide da noite para o dia nem depois de uma declaração com rosas. Não é uma aliança na minha mão direita que vai definir o que alguém sente por mim e se é realmente ela que irá compartilhar comigo o restante da minha vida e fazer parte dos meus sonhos... Tem coisas que realmente não consigo entender! As minhas amigas, praticamente todas, estão rumo à esse mundo de contos. Não quero pensar que eu esteja ficando para trás (risos). Não mesmo. Casar não é uma ordem, desde que eu esteja em ordem. Que sejam felizes então, até que a morte os separe!!



Aline :)

quinta-feira, 24 de abril de 2008

O que pensa?

Uma coisa boa sobre a música é que quando ela bate você não sente dor. Já dizia um homem que encontrava sentido em coisas sem sentido. Bob Marley foi um cara que sabia sugar da vida toda intensidade que ela podia oferecer, mas suas escolhas o levaram a ser sugado pelas consequências de uma intensidade que transporta o homem para um caminho sem volta. Queria encontrar motivos para aqueles que vão nessa e nunca mais querem voltar. O prazer não está com o que você pode viver, mas em como você vive. Aline é careta! Disse e diz não para as drogas. Ela não precisa delas pra ter mil motivos para sorrir.


Um dia eu aprendo novos passos... Mas que me levem e me tragam de volta de onde parti! Não há vida quando se arrancam as raízes. Fui plantada, sou regada e quero muito crescer e alcançar o céu! Como quero...

Aline :)

quinta-feira, 17 de abril de 2008

Para ficar de boca aberta!!



Por que sempre pensamos que nunca vai acontecer com a gente? Eu costumo dizer que o mosquito da Dengue está por aí e ninguém está livre dele. Mas sinceramente, nunca espera-se que ele vá picar justamente você. Acidentes, assaltos, mordidas de cachorros ou o deslocamento da sua mandíbula. Sabemos que não estamos livres, mas nos livramos de pensar nessas coisas. Hoje meu dia foi assustador e aconteceu comigo justamente algo que nunca imaginei que aconteceria um dia. Preciso relatar esse fato aqui e por favor, riam da situação, pois mesmo sendo séria é cômica. Como disse o meu ilustre Chaplin: No fim, tudo é uma piada. Fui ao dentista. Lugarzinho desagradável de se estar. A sala tem cheiro de medo, dor e nervosismo. Tinha um bom tempo que não visitava essa raça de médicos, mas sabe como é... foi preciso! Tudo estava muito bem até eu ver aquela agulhinha sinistra na mão da dentista. Certo! Não tinha mais jeito. Encarei como uma boa menina... que sou! De repente começa: Zummmmm... Liga-se o mais cruel de todos e começa a operação hiper agonizante. Olha, sei que pareço uma exagerada, mas também só eu sei o que passei ali. Não tenha tanto medo assim. É suportável. Ela mandou que eu abrisse bem a boca senão teria que me furar várias vezes. O quê? Louca! Abri a boca como nunca antes.

- Cospe! - Disse a gentil doutora.

Assim eu fiz. Foi quando eu percebi e senti o que acabara de acontecer. Minha mandíbula tinha travado. Nossa! A sensação foi de sei lá o que. Vejam o diálogo:

- Oôra, inha ôca ão ér echar! - Disse eu com a boca hiper aberta.

- O quê? Não quer fechar? Como assim?

- Ai, ão ô onseguindo! -Eu já estava em pânico. Passavam as piores idéias pela minha cabeça. Que a parte inferior ia soltar, que eu ficaria com a cara torta, enfim, coisas que só o desespero te faz pensar.

- Calma, respira fundo. - Disse ela, ou melhor, dizia toda hora.

Ela começou a massagear perto dos meus ouvidos e viu que a situação era séria. Começou a me explicar o que havia acontecido. Eu, mesmo com a boca naquela situação não poupei perguntas do tipo: Vai doer? Tem jeito? Blá, blá, blá? Como eu disse, quando eu iria imaginar um fato desse acontecendo comigo? Nunca se espera. Então ela chamou dois dentistas e um mais experiente cuidou de tudo. Me pediu que sentasse no chão encostada na parede bem ereta. A partir dali vi estrelas. Nossa. como doía. Chorei lardagada!! Ele teve que forçar por dentro da boca para que a mandíbula voltasse ao lugar. Acho que o que me fez sentir menos foi o fato de eu estar anestesiada. Nem deu para terminar o tratamento. Estou com um curativo no dente... acredita?? O dentista perguntou se eu mastigava só por um lado. Me explicou que essa poderia ser uma das causas que me levou a isso. Teve toda teoria por trás e tem, pois depois que cheguei em casa pesquisei tudo à respeito e vi que eu apresentava vários sintomas do problema, mas como sempre, irrelevantes. Sei que sinto uma dor desagradável, não posso mastigar nem forçar por mais ou menos uma semana e roer unhas nem pensar. Essa mania feinha que eu tenho (tinha a partir de hoje) pode ter ajudado no desgaste do disco articular. Fiquei um pouco traumatizada sabe? Acho que não vou bocejar tranquila por um bom tempo e nem mastigar pelo lado direito da boca. Deixa ele tirar férias, ou se aposentar se quiser (risos). Bem gente, por hoje é só. Só? Pelo amor de Deus... por hoje basta!!

quarta-feira, 16 de abril de 2008

O Caíque é uma figura!!



Hoje Caíque me mandou ter respeito pelo Rodrigo. Claro que é comum ouvir isso de uma criança de 4 anos, talvez. Quando olho para ele sentando no chão do quarto com um radinho de pilha bem pequeno e um fone gigante tentando ouvir alguma coisa, penso no que ele pode estar pensando. Na verdade essa foi uma pergunta que sempre me intrigou. O que as crianças ficam pensando quando olham para o nada ou ouvem MpB e Bossa Nova de décadas atrás num radinho de pilha, que falha toda hora, mas que se mexer no fio acaba funcionando? Queria sinceramente saber. Seria um desenho do Pica- pau mais divertido? Definitivamante, parou de funcionar. Mas sabem o que chama a atenção dele no mini aparelho? A luzinha que fica piscando para visar se está ligado ou não. Só para encerrar... Ele acabou de quebrar o radinho. Por favor, respeitem o Caíque. Ele não sabe o faz.

Aline Moreira.

Regras para escrever bem o Português:

1. Deve evitar ao máx. a utiliz. de abrev., etc.

2. É desnecessário fazer uma opção superlativa quanto ao estilo e empregar de um estilo de escrita demasiadamente rebuscado. Tal prática advém de um excessivo esmero a raiar o exibicionismo narcisístico.

3. Anule aliterações altamente abusivas., o mais possivel!

4. não esqueça as maiúsculas no inicio das frases.

5. Evite lugares-comuns como o diabo foge da cruz.

6. O uso de parêntesis (mesmo quando for relevante) é desnecessário.

7. Estrangeirismos estão out; palavras de origem portuguesa estão in.

8. Evite o emprego de gíria, bué, mesmo que pareça nice, tá fixe?

9. Palavras de baixo calão podem transformar o seu texto numa merda.

10. Nunca generalize: generalizar, é um erro em todas as situações.

11. Evite repetir a mesma palavra, pois essa palavra vai ficar uma palavra repetitiva. A repetição da palavra vai fazer com que a palavra repetida desqualifique o texto onde a palavra se encontra repetida.

12. Não abuse das citações. Como costuma dizer um amigo meu: "Quem cita os outros não tem ideias próprias".

13. Frases incompletas podem causar

14. Não seja redundante, não é preciso dizer a mesma coisa de formas diferentes; isto é, basta mencionar cada argumento uma só vez, ou por outras palavras, não repita a mesma ideia várias vezes.

15. Seja mais ou menos específico.

16. Frases com apenas uma palavra? Jamais!

17. A voz passiva deve ser evitada.

18. Utilize a pontuação correctamente o ponto e a vírgula especialmente será que já ninguém sabe utilizar o ponto de interrogação

19. Quem precisa de perguntas retóricas?

20. Conforme recomenda a A.G.O.P, nunca use siglas desconhecidas.

21. Exagerar é cem milhões de vezes pior do que a moderação.

22. Evite mesóclises. Repita comigo: "mesóclises: evitá-las-ei!"

23. Analogias na escrita são tão úteis quanto chifres numa galinha.

24. Não abuse das exclamações! Nunca! O seu texto fica horrível!

25. Evite frases exageradamente longas, pois estas dificultam a compreensão da ideia nelas contida, e, por conterem mais que uma ideia central, o que nem sempre torna o seu conteúdo acessível, forçam desta forma, o pobre leitor a separá-la nos seus diversos componentes, de forma a torná-las compreensíveis, o que não deveria ser, afinal de contas, parte do processo da leitura, hábito que devemos estimular através do uso de frases mais curtas.

26. Cuidado com a hortografia, para não estrupar a língúaa portuguêza.

27. Seja incisivo e coerente, ou não.

28. Não fique escrevendo no gerúndio. Você vai deixando seu texto pobre -ausando ambiguidade - e esquisito, ficando com a sensação de que as coisas ainda estão acontecendo.

29. Outra barbaridade que você deve evitar é usar muitas expressões que acabem por denunciar a região onde tu moras, carago!

Isso é só pra quem ama escrever e falar bonitinho... Muito Bom, não é?!