Páginas

terça-feira, 1 de julho de 2008

Tic-tac...


Tenho experimentado umas coisas bem legais em minha vida. E não preciso de muito pra dizer que está bom do jeito que está... Me contento com pouco, desde que seja bom. Na última semana assisti à uma entrevista com o cantor de rap MV Bill. Nascido, criado e vivido na Cidade de Deus, no Rio, ele tem sido voz pra muitos. Para quem não sabe, MV significa mensageiro da verdade. Gostaria de ser conhecida como MV Aline. Que tal? O cara é do tipo extravagante, mas muito consciente. Ele disse algo que me fez refletir: -O que é plantado nas comunidades é ódio, indiferença, desdenho... Depois não pode querer colher amor dessas pessoas.- É uma verdade tão verdadeira que até me constrange. Porque aos olhos dessa gente, eu sou mais uma na multidão, até que eu me manifeste vestindo a camisa que eles vestem. Diante disso, desse click, eu decidi abrir meus olhos e fazer aquilo que posso alcançar agora. Um passo de cada vez... mãos que abençoam e pés que anunciam.


Ele é um homem que tem um senso crítico admirável. Bem, na verdade qualquer um que tenha o senso crítico aflorado eu admiro, porque eu não consigo ser assim. Durante um tempo coloquei à prova minha personalidade e até duvidei da mesma, pelo fato de não conseguir olhar com percepção crítica para as situações, filmes, etc. e etc. Só via (e vejo) beleza em tudo. E quando não é bonito, eu desperto uma esperança não sei de onde que diz que uma hora vai ficar. Será que muito otimismo é exagero no mundo em que vivemos? Não acho. Acreditar me faz bem.


Filipe meu bem... não sei assistir à um romance, não me derreter e dizer que foi fantástico. Nossa... só tenho olhos para os sentimentos naquele instante. Não cobre críticas de uma garota melosa como eu (risos)! Acho que é a vontade de viver o mesmo um dia. Tenta entender...


Mas voltando ao Mc, digo, MV (risos), o cara é bom. Meninos do Tráfico foi um grande documentário. Acreditem que de todos que participaram, não há mais nenhum vivo. Nessa terça fui à um CIEP de uma comunidade e fiz umas entrevistas com umas pessoas. Foi interessante ver a motivação de professores e outros funcionários quando conversavam comigo me dizerem que ali existem muitos tesouros, mas lamentável em ouví-los dizer que despercebidos e que os alunos só vão à escola pela merenda. Era de se esperar!! Vejamos o que podemos fazer por aqueles jovens... Nada que o tempo, paciência e Hip-hop não cuide. Dá pra não acreditar?


Aline :)

Um comentário:

Izabel disse...

Puxa! muito legal sua observação sobre a consciencia social do MV Bill, realmente ele é bem compenetrado nas questões que estão se tornando calamidade no Brasil, mas a verdade é que não é muito difícil ter uma visão crítica não! é só olhar pro lado e pensar que essas pessoas, esses alunos, esses pais de família sofrem um descaso fruto de um sistema falido, onde só se dá bem quem tem muito dinheiro, e que todas as políticas e oportunidades são feitas pra esse pessoal mesmo! a falta de informação é outro fator fundamental pra perpetuação dessa situação, pois tiram a capacidade de questionamento, as crianças vão pra escola pensando na merenda pq não tem comida em casa, se por um acaso tivessem, com certeza iriam pra escola com alguma perpectiva de futuro e por consequencia se tornam adultos incapazes de entrar no mercado de trabalho, cada vez mais competitivo, e são propensos, mais uma vez, a viverem na miséria