Páginas

domingo, 16 de novembro de 2008

Ao vento...

Olha, faz um bom tempo que não escrevo por aqui. Nunca imaginei que trabalhar levava tanto tempo da gente. Bem, mas a verdade é que sinto maior falta de postar todos os dias como fazia antes, nem que fosse um coisa à toa... um pensamento solto traduzido em palavras. Oras, e isso não é quase uma poesia? Hum, bem que uma poesia seria bem vinda nesse tempo... Mas em que tempo? Sabe gente? Estou feliz! Verdade! Aconteceram tantas coisas esse ano que mexeram muito comigo. O medo... a angústia de estar vivendo sem saber quando vai mudar ou simplesmente quando vão acontecer. A única certeza que sempre me acompanhou é que Deus sempre esteve comigo. Esses dias pensava sobre a onisciência Dele e louvava admirada só de pensar que tem coisas que somente eu e Ele sabemos!! Engraçado... Mas com Deus é assim. Tenho pensado muito em honra... em como honrar as pessoas que amo e que tenho certeza que me amam também. E hoje, no ensaio do M. louvor em minha igreja, compartilhei algo muito legal que aconteceu comigo.

O segredo de compreender certas coisas é o fato convicto de que nossa relação com Deus é muito pessoal. A partir do que somos Nele e para Ele, do que construímos juntos e o que permitimos que Ele desconstrua dentro de nós. Então me lembrei que quando estudava em Jocum, vivi uma experiência surpreendente, como muitas outras. Mas essa foi especial. Quem conhece Aline, sabe que ela não chora tão fácil assim. Em momentos alegres, ela ri. Em momentos tristes... ela pensa. É preciso mexer no seu profundo pra ver uma lágrima cair. Mas enfim... cada um tem seu jeito de mostrar o que sente. Confesso que em seus instantes sozinha com Deus, ela não tem conseguido se controlar.

Entendo que tudo que fazemos é pra Deus, até mesmo grandes personalidades da MPB criam e entoam canções inspiradas em Deus sem saber... sem sentir. Marisa Monte escreveu uma música, mas nunca a gravou. A deu de presente para Cássia Eller. A tão cantada...

Palavras ao Vento...

Ando por aí querendo te encontrar
Em cada esquina paro em cada olhar
Deixo a tristeza e trago a esperança em seu lugar
Que o nosso amor pra sempre viva
Minha dádiva
Quero poder jurar que essa paixão jamais será
Palavras apenas
Palavras pequenas
Palavras, momentos
Palavras, palavrasPalavras, palavras
Palavras ao vento...

Então num dia meditando decidi cantar essa canção para Deus. Assim fiz. Cantei. E realmente pensei que tudo o que essa canção diz podia ser uma realidade entre nós. Sobre o nosso amor. Um tempo passou e eu percebi que crescer dói. Eu estava crescendo quando uma amiga me chamou e disse:

- Aline, Deus quer saber porque você anda fugindo Dele? Ele tem buscado te encontrar.

Voltei ao meu quarto, sentei no chão beirando minha cama e disse:

- Sabe Deus? Vou cantar aquela canção para você!

Então Deus me respondeu:

- Não Aline... Agora é a minha vez de cantá-la pra você!

Daí eu percebi que maior do que a minha vontade de que nossa relação não fosse apenas de palavras, era a de Deus me dizendo que eu sou uma dádiva e sonhando para que o nosso amor para sempre viva! E que nada do que eu fale ou faça para Ele ou em seu Reino sejam como PALAVRAS AO VENTO!

Porque o Reino de Deus não consiste em palavras, mas em virtude. - I Cor.4:20
Que te farei...? Porque a vossa beneficência é como a nuvem da manhã e como o orvalho da madrugada que cedo passa. - Os.6:4.
Como amor eterno Deus... eu vou sempre te amar!!
Paz e bem!
By Aline:)

Um comentário:

NATHALIA ELEN disse...

AAAAAAAAA QUE LIIINDO!